Administração do tempo

O tempo passa cada vez mais rápido. Organização é o primeiro passo do sucesso.

Concepções do Tempo

Home » Cursos » Auto Gerenciamento » Administração do Tempo » Concepções do Tempo 

- administração inteligente de nós mesmos + uso otimizado dos recursos disponíveis = Administração do Tempo;

- estar sempre atarefado é diferente de produzir muitos resultados e com qualidade;

- a pergunta não deve ser : o que vou fazer hoje? mas, como vou administrar as próximas 24 horas;

- administração de tempo e macro visão pessoal, profissional(objetivos + prioridades) necessariamente caminham juntos;

- administrar o tempo está além de atender as demandas pessoais, familiares e profissionais atuais, consiste em adquirir estrutura capaz de atender as demandas que teremos nos próximos 5 ou 10 anos;

- alocar bem o tempo está além da agenda organizada, consiste em uma revolução interna - análise e mudança de hábitos, reavaliação da autoconcepção;

- o tarefeiro "estou até o pescoço de trabalho") torna inútil o tempo usado, pois sua postura não é estratégica, nem tática e, muito menos, possui perspectiva de futuro;

- diferenciar entre tempo objetivo - aquele mensurável por instrumentos quantificadores e o tempo subjetivo - a experiência pessoal do tempo;

- administrar o tempo é manipulá-lo habilmente ao invés de ser manipulado por ele;

- a eficácia é sempre mais importante do que a eficiência quando o recurso tempo é bem alocado;

- identificação dos principais desperdiçadores de tempo, causados por hábitos pessoais, atitudes profissionais, pela estrutura da empresa ou pelo contexto cultural;

- administrar o tempo não é um fim, mas um meio imprescindível de administrar o estratégico e o tático, tanto pessoal quanto profissionalmente;

- a pressão do tempo está diretamente relacionada com três fatores: velocidade de transformação; volume de informações; inabilidade ao administrar o tempo.(Por isto é que, tendo mais tempo livre que nossos antepassados, temos forte sensação da sua escacez);

- pesquisas mostram que a principal reclamação dos profissionais é a falta de tempo = 43%, secundado pela falta de dinheiro = 27%;

- a tendência é ampliar o tempo à dimensão profissional em detrimento do tempo familiar e pessoal - principal postura desencadeadora de distress;

- temos hoje recursos que otimizam sobremaneira o tempo; porém, possuímos igualmente outros que consomem o tempo excedente;

- administrar o tempo depende essencialmente de nós mesmos e, sem sombra de dúvida, temos grande espaço para manobrar.


<< Voltar